A marca como pessoa: guarda roupa.

A marca como pessoa: guarda roupa.

Usamos uma roupa para trabalhar, outra para ficar em casa, outra diferente para jantar fora, outra na tarde de sábado e outra diferente ainda para o almoço de domingo. Porém é fácil achar uma relação entre elas. No geral, mesmo usando roupas adequadas a cada situação ou ambiente, as pessoas sempre estarão com uma mesma linha, um mesmo estilo de se vestir. Isso é comprovado quando vemos alguém dizer: – Você está parecido com fulano hoje.

Isso acontece porque estamos acostumados a ver as pessoas dentro de uma determinada linha de roupas, e, quando essa pessoa sai um pouco desse estilo, nota-se facilmente a diferença. Também podemos incluir nessa análise alguns outros pontos como peso, altura, quando se usa um sapato mais alto, por exemplo, corte de cabelo, barba, óculos e tudo mais que altera o aspecto visual de uma pessoa. Às vezes é possível reconhecer um amigo de longe, em meio a uma multidão, apenas pelo estilo da roupa que ele está usando. Quando qualquer um desses elementos são trocados ou modificados, as outras pessoas notam diferença.

Assim também acontece com a identidade visual das marcas. Cada elemento gráfico, cada cor, alinhamento e sistema gráfico, juntamente com sua forma de aplicação em todas as peças gráficas – fachada, uniformes, frota, comunicados, publicidade, sinalização, etc. –, têm seu papel na composição e identificação da marca por parte do seu público. Toda essa comunicação deve estar completamente de acordo com o estilo da marca. Pode soar estranho uma pessoa aparecer no trabalho, na mesma função e ambiente, um dia de bermuda e outro de terno e gravata. É preciso ter coerência na identidade visual, para que as pessoas a identifique facilmente. É preciso saber escolher a roupa certa para cada ocasião, mas ter sempre uma coisa em mente: é necessário estar bem vestido em qualquer ocasião, pois nunca se sabe quem você vai encontrar por aí. Pode ser uma pessoa estratégica para seu network, que pode ficar com uma impressão equivocada sobre você caso te veja vestido inadequadamente. E o pior, talvez você não tenha outra chance de mudar esse conceito na mente dele.

Pode ser caro o preço para uma marca, por não se apresentar de acordo com a necessidade. Há conceitos sobre a marca que são automaticamente transmitidos pela sua identidade visual. Antes que uma palavra sequer seja lida, o consumidor já pode ter estabelecido padrões baseado em suas referências visuais. Transmitir exatamente o que a marca é em sua identidade visual facilita a compreensão do consumidor e o aproxima para que um diálogo possa ser iniciado.

E ai, como está o guarda-roupa da sua marca?

 


Artigo escrito por Cláudio Souto.